Jogo de jogo de amor

Eu sempre fui muito certinho

2020.10.27 01:03 jogarfora1991 Eu sempre fui muito certinho

Eu (H 29) sempre fui um cara muito certinho. Não flertava com as mulheres porque era muito tímido. Comecei a namorar tarde, com 23 anos, e dei meu primeiro beijo nessa idade. Com a minha namorada eu sempre tive muito medo de ter filhos e sempre fomos precavidos com relação a isso. Sempre tive o ideal de ter melhores condições financeiras antes de ter um filho. Hoje eu estou chegando perto dos 30 anos, e continuo sem filhos, e nunca estive com outra mulher além da minha primeira e única namorada. Eu começo a pensar sobre estar ficando velho. Hoje muitas mulheres flertam comigo e eu não vou adiante por estar comprometido. Eu gosto da minha namorada, e acho que ficaria absolutamente só se nós terminarmos o relacionamento, pois não tenho muitos amigos e sei que, embora muitas mulheres flertem comigo, na maioria das vezes eu não iria desenvolver uma relação mais profunda com elas mesmo se eu estivesse disponível. Eu sinto que não vivi o que a maioria dos homens viveram, eu sinto falta do jogo de sedução, mas eu gosto da minha namorada e não sei se conseguiria continuar sem ela. Eu sinto que essa vida de solteiro pegador é absolutamente vazia, mas eu também me sinto vazio por não ter tido estas experiências. Complicado, né? Eu inverti a lógica das coisas, pois deveria ter tido essas experiências até encontrar alguém que combinasse comigo, e então ir para o felizes para sempre, depois de passar por muitas decepções. Eu pulei para o final e agora fico eternamente pensando: e se?
Além disso hoje eu começo a repensar todo o meu planejamento com relação a filhos. Ainda acho que não tenho condições de tê-los, embora já seja formado e pós graduado, tenha minhas economias e meus planos traçados. Mas fico pensando se eu não seria mais feliz se tivesse deixado tanto planejamento de lado e engravidado a minha namorada lá atrás, sem profissão e sem dinheiro mesmo. Eu ia passar um sufoco danado, mas hoje eu teria um moleque ou uma garotinha com uns 6 anos de idade para me chamar de pai e a quem eu poderia dar muito amor e carinho (eu até chorei escrevendo isso).
É estranho, mas eu olho para os caras que tiveram filhos não planejados, fora de um casamento, e dão um duro danado para compensar esta "irresponsabilidade" e eu penso que talvez eu seria mais feliz se eu fosse um desses caras.
Talvez a vida devesse ser menos certinha, menos planejada, e mais vivida.
submitted by jogarfora1991 to desabafos [link] [comments]


2020.10.26 00:20 Kiko_Grilo Uma visão epidemiológica do Farense x Rio Ave (vindo de um adepto que foi ao estádio)

Bem, acho que este post seria interessante para quem ainda não teve a chance de ir a um estádio na situação epidemiológica atual.
Vou relatar mais ou menos como foi e a minha opinião.
Introdução:
Farense anuncia que o nosso jogo seria um dos jogos piloto da Liga NOS, tendo a percentagem de adeptos 15% da lotação do estádio (2550 pessoas), felizmente fui um dos felizardos que conseguiu o bilhete.
Sexta-feira: 23 de Outubro de 2020
Só tenho aulas de manhã na universidade, mas decidi fazer um esforço para ficar em Faro (não sou de Faro, moro a 30km e apanho sempre autocarro tanto para ir como vir) conseguir os bilhetes para o jogo. A fila estava bastante extensa, e estava calor. Mas um distanciamento questionável, contudo todos de máscara.
Após entrar, estavam 3 mesas de atendimento, todos com máscara mas contacto frente a frente e sem acrílico. Fui obrigado a ler Termos e condições sobre lugares aleatórios e todos os dados que seriam levados.
Pediram número de sócio, várias maneiras para me contactar, número de saúde e o cartão de cidadão, tendo de assinar esse documento. Houve vários casos de pessoas a perguntar se podiam comprar um bilhete para o marido/mulher, sendo negados pois era preciso essa assinatura.
O bilhete era intransmissível e tinha o número de cartão de cidadão associado, a seleção do lugar era aleatória tendo em consideração todas as medidas de segurança impostas pela DRS Algarve.
Finalmente tinha bilhete para o jogo e após quase 8 meses, podia voltar a ver o meu clube.
Sábado: 24 de outubro de 2020
A venda de bilhetes continuou, mesmos procedimentos. Nada a dizer.
Domingo: 25 de outubro de 2020
Game day crl, não estamos a jogar um piço mas safoda vamos voltar a ver o nosso amor.
Pré-jogo:
Começamos com a entrada no estádio, fui 1 hora mais cedo a pensar que estaria contorbado, como um amigo meu disse no Feirense x Chaves. Deparo me com uma entrada bastante vazia e bem distribuida por zonas.
Meti me na fila, medi a temperatura, desinfetei as mãos, posteriormente verificaram os bilhetes, não os validaram, só viram. Também recebi uma máscara reutilizável da liga.
2ª ronda de verificação, bem mais pequena. Verificaram desta vez o código de barras. Mais uma desinfeção de mãos e um guia indicou me o lugar, seguindo a respetiva sinalética. E ai está, o sentimento como se uma criança tivesse na disneylandia, o precioso relvado...
Várias vezes foram ditas as indicações pelo speaker:"A utilização da máscara é obrigatória, mantenha sempre todas as medidas de segurança, siga e respeite os trajetos assinalados através da sinalética."
Tudo bem, mas agora o pior:
"Neste jogo não haverá bar disponível." - E causa a indignação dos homens que bebem cerveja no estádio.
"Mas teremos venda ambulante de bebida e comida" - Pronto lá posso comprar o meu saco de pipas, menos mal.
Ah, e a saída é feita por setores.
Vamos para o jogo.
Jogo
Bem, o distanciamento foi respeitado na maior parte do jogo, mesmo a claque que chegou a acordo com o clube de modo a conseguir lugares juntos. Na bancada onde estava, temos esta foto que não é da minha autoria, lindo de se ver.
Golo anulado ao Farense: Caiu o carmo e a trindade, distanciamento mantido mas pronto alguma frustração.
No Golo do mané também
Fui à casa de banho duas vezes, sempre seguindo a respetiva sinalética e não tive nenhum problema.
Começou a chuva e pronto lá tive de preparar a capa, mas pronto falemos do Intervalo.
Intervalo
Começou alguma aglomeração, mas algo habitual numa ida ao WC. Lamento a falta de sabonete nas pias, talvez o maior ponto negativo. Ficou a maior parte nos lugares respetivos.
Decidi fazer algo que não recomendo a fazer: Mudar de lugar. Estava numa fila bem longe do relvado e gostava imenso de ficar na 1ª fila, não só para ouvir o treinador (gosto sempre de estar mais perto do jogo), mas também na missão pela foto com o Stojiljkovic. A chuva ajudou bastante para conseguir o lugar perfeito à frente. Não fui abordado por nenhuma força de segurança, também estava marcado com a sinalética de lugar adequado. Não pus em causa nenhuma anomalia de distanciamento social.
Final do jogo
Mesmo com ou sem adeptos, o resultado do Farense foi o mesmo: Derrota. Realmente não conseguimos sair do último posto...
A saída que supostamente seria faseada, acabou por ser ao molho, juntamente com lenços brancos ao Sérgio Vieira, apesar de concordar com os lenços brancos, falhou completamente essa parte.
Tinha vindo numa missão, conseguir uma foto com o Stojiljkovic, um dos meus jogadores favoritos. Pensei que o distanciamento social evitasse essa possibilidade, mas com ajuda consegui chamá-lo e tirar a foto, excelente pessoa.Talvez a maior contraordenação que cometi nesta vinda ao Estádio Algarve. Também consegui com o Carlos Mané, sim com distanciamento.
Conclusão
Senti-me grato, independentemente do resultado, poder voltar a ver a minha equipa 18 anos depois na 1ª liga, presencialmente. Talvez os restantes também gostaram, mesmo se o resultado foi o menos bom
Senti-me mais seguro aqui que no autocarro que apanho todos os dias, senti-me mais seguro aqui que sentiria qualquer vez na F1, senti-me mais seguro aqui que na cafetaria da minha universidade. A verdadeira pergunta é: Para quando isto deixar de ser jogos piloto e passar sim a vermos futebol no estádio do clube que amamos?
submitted by Kiko_Grilo to PrimeiraLiga [link] [comments]


2020.10.26 00:16 BLS_2020 Desenvolvi com amigos um jogo 100% brasileiríssimo: Amor de Bêbado! Link para download nos comentários :) Disponível apenas para PC!

Desenvolvi com amigos um jogo 100% brasileiríssimo: Amor de Bêbado! Link para download nos comentários :) Disponível apenas para PC! submitted by BLS_2020 to CoisaNossa [link] [comments]


2020.10.24 17:01 jpedro6464 Acabei de perceber que namorar sendo menor de idade só pode dar ruim

Primeiramente já é fato que a chance de tu achar a sua alma gêmea sendo menor de idade é quase impossível. Depois (para mim pelo menos) os pilares do desenvolvimento de um relacionamento são: morar junto, casar e ter uma família. Tu não pode morar junto pois não tem grana, não pode casar por inúmeros motivos logicos e não pode ter uma família por falta de grana e motivos mais logicos ainda.
Se coisa boa não pode acontecer, coisas ruins podem e podem bastante. Gravidez indesejada, traição, abandonar os estudos e consequentemente arriscar absurdamente seu futuro e diversas outras coisas que eu sinceramente não me lembro kkkkk.
"Ain mas tem o amor e a companhia", me diz quem vai querer ficar só nisso, é tipo tu comprar um jogo e só poder jogar a primeira fase, sabe?
Eu tô viajando ou realmente alguém concorda?
submitted by jpedro6464 to desabafos [link] [comments]


2020.10.24 06:08 mentalorgasmo LEMBRANÇAS

Lembrei daquela sua chupada no meu pau, quando você pegou com vontade e ficou um bom tempo me provocando. Chupava toda a região externa mas não a cabeça. Passava a língua nas bolas e me olhava. Sabia que estava me deixando ansioso. Uma ansiedade boa e inesquecível. Fez jus à sua obsessão por ele. Conseguiu mexer com o meu psicológico. Fez com que a cabeça ficasse melada não da sua saliva, mas graças ao seu potencial em agir e ter total convicção naquilo que faz. Babou-o todinho e, finalmente, depois de me deixar com demasiado frio na barriga, foi com tudo e meteu o danado na boca — até a goela. (Nossa, eu até engulo saliva quando lembro.)
Aquela nossa foda na jacuzzi foi memorável. Cheia de espuma. Você pediu de quatro, cuja visão parece o paraíso e é a confirmação da oitava maravilha dessa vida. O ar que respirávamos estava, de fato, repleto de orgasmos. A glória veio nos visitar. Eu penetrava tão gostoso na sua bocetinha apertadinha. Você gemia baixinho mas louca para gritar — e em algum momento fez. O pau tão melado de você que escorregava com fluidez. Minhas mãos apoiadas na lateral do seu corpo fazia parecer que eu te trazia mais para mim. Os tapas nessa bunda escultural a deixava arrepiada e cada vez mais cheia de prazer. Os estalos eram parte do jogo. As marcas das mãos deixavam a área bem elegante. Porém, não era tão forte assim. Eu nunca gostei de machucar essa bundinha espetacular.
Nessa incrível bocetinha eu me acabava. Sentia o melado em todos os cantos dela quando meus dedos iam passando para explorar e passear. Um babado tão seu que eu já não tinha mais o que pensar. Eu não queria nem partir pro abraço com tamanha língua que tenho. Meu prazer estava só em lhe proporcioná-lo. Essa é a magia. Vê-la satisfeita sempre me trouxe satisfação. É o apogeu. É o êxtase do privilégio senti-la babada, colando, onde eu me sustentava levando os dedos à sua boca — e dividindo comigo, é claro. Sua voz angelical me dizendo “Que delícia, amor” soava tão melódica nos meus ouvidos que me lembrava Summer Walker ou Kash Doll. Em South Central Los Angeles as gangues dominavam, enquanto entre nós toda vontade de fazer melhor que antes nos transbordava. Eu alisando seu corpo como se fosse um Rolex novo. Como se fosse uma long neck da Heineken super gelada. Você orgulhosa da consciência de que eu sabia como tratar sua flor quando ela passava pelo meu rosto e exalava esse aroma natural e refrescante que me deixava alucinado. Um visual de tirar o fôlego. Grandes lábios que me fascinavam. Pequenos lábios capazes de aguçar vontades incontroláveis dentro de mim — ou até mesmo externamente, quando o pau pulsava e pegava fogo de tanta vontade de entrar nesse túnel rosa e orgásmico. Clitóris que nunca fugia de mim, que sabia da minha capacidade de dominá-lo. Você sempre tinha um jeitinho único de me domar, como se eu fosse um bicho feroz. No entanto, sua ferocidade quando repleta de vontade me encantava. Tínhamos o macete de chegar no topo.
Quantas lembranças…
submitted by mentalorgasmo to u/mentalorgasmo [link] [comments]


2020.10.24 00:55 mentalorgasmo DEVORANDO MINHA DEUSA NO SOFÁ

Quase todas as vezes que eu saio do banho essa garota está assim: de quatro, com esse lindo rabo empinado, me esperando para ser deliciosamente fodida. Ela adora, ela ri; vira a cabeça para trás, dá um tapa na raba e depois passa na bocetinha, em seguida chupando um dos dedos. (O pau cresce na hora.)
Me aproximo dela e, com a toalha pendurada no ombro, vou me masturbando bem devagar, olhando para ela cheio de vontade de sentir seu calor interno que só essa mulher tem. Como eu sei que ela já tomou banho antes de mim, ainda brincando com o garoto eu me aproximo da sua bunda e apoio meu rosto – mas com a língua na beira do orifício dela, que lateja como nunca. Ele pisca, me conhece. Fica extasiado quando sente minha língua perto. Então eu levo minhas mãos ao seu corpo e comceço a acariciar seu corpo, deslizando pelas laterais, subindo até os seios – e nessa o instrumento “duraço” está encostando na rabeta, indo à loucura – para realizar aquele aperto suave e delirante. Ela apoia uma mão no sofá e a outra fica por cima da minha durante meu toque nos seios… ela alisa, acaricia, mas logo desliza até a calcinha e puxa pro lado, consequentemente se tocando com leveza, cheia de fogo, toda se ardendo. Dou umas puxadas no mamilo de cada seio, esfrego a palma de cada mão – que delícia senti-los durinhos –, engulo saliva e logo me afasto bem devagar, já caindo de boca na sua “Rosa”, e me misturo com seus dedos começando a ficar melados.
Jogo a toalha na cadeira da mesa da sala, me ajeito e mergulho nela, dando umas chupadas intensas, sugando tudo o que consigo dessa delícia de flor, fazendo minha deusa pirar. Uso as duas mãos para abrir o caminho, e com os polegares exploro os grandes lábios dessa xota monumental. (Nossa, quanta saliva tive que soltar. Eu sou apaixonado por isso e por essa mulher, também.) Provo para ela o quanto eu gosto de satisfazê-la. Me perco. Me encontro. Chupo com gosto, deixando seu grelinho babado, misturado com a minha saliva quente.
Subo lambendo com pressão até seu “O” e cuspo, deixo escorrer enquanto ela pisca o danado para mim, e sem esperar mais um segundo eu voo nele e fico passando a língua de maneira circular, alternando para umas pressionando, fazendo suas gemidas atingirem as paredes. Minhas mãos apoiadas na sua bunda acariciam mas apertam-na. Dou uns tapas. Coloco uma mão pela frente e inicio uma massagem no clitóris, elevando o nível. Ela suspira. Ela me pede para não parar. Ela diz que está delicioso. Encantador. Surrealidade pura. Conexão elevada.
– Ai, eu vou gozar, amor! – ela diz com as pernas começando a bambear.
Dedo seu cuzinho e cuido do clitóris. Estamos acima das nuvens. Bocetinha toda babada. Cuspo mais no cuzinho. Volto a lambuzá-lo. Paro. Desço à boceta. Puxo o grelo chupando. Enfio a cara entre sua bunda. Me entorpeço dela. Logo sinto minha mão completamente molhada, porque ela gozou nela. Em seguida penetro meu garotão no cuzinho sem que ela tivesse tempo para imaginar essa minha ação, e vou socando gostoso apreciando toda essa grandeza assim para mim, livremente rebolando comigo dentro dela. É bem apertado, mas está gostoso. Bato com vontade. Deixo as marcas das minhas mãos. A gente se deleita. Ela volta a massagear o clit. Geme que é uma beleza. Eu soco até o limite. Ela pira. Ela é louca por mim. Faço como ela gosta.
A piroca lateja enquanto viajo dentro dessa imensidão. Cuzinho extremamente apertadinho, travando e soltando o pau… uma delícia para penetrar. Ela rebola com jeito, na manha, na sabedoria. Vira a cabeça para trás, joga o cabelo pro lado e fica mordendo o lábio inferior, assentindo enquanto fico no vai-e-vem. Bato mais. Seguro suas nádegas. Acaricio. Aliso com paixão. Ela me contagia de felicidade. E afim de me deixar mais maluco, me pede:
– Goza dentro da minha bocetinha, goza?
Como recusar? eu penso.
Tiro lentamente e entro nela por outro caminho, sentindo o ambiente completamente molhado e escorregadio. Levo as mãos à cintura e meto com vontade, com força, até o limite. Ela pira. Geme cada vez mais alto me dizendo que está uma delícia, me pedindo para gozar gostoso, jogar meu leite quente dentro dela. Cravo minhas mãos nessa delícia de cintura e vou me deleitando nessa flor esplêndida que se abre para mim sempre que me apresento. E sem pensar duas vezes gozo, bem gostoso, dentro dela – mas não tiro: agarro-a e me sento no sofá como se estivéssemos colados, onde ela começa a rebolar e quicar ao mesmo tempo, louca, louca por estar comigo mais uma vez.
submitted by mentalorgasmo to u/mentalorgasmo [link] [comments]


2020.10.24 00:16 SandovalGalafuz Evento do Rei-Destruído

Juntando algumas informações cheguei a uma interessante teoria: um possível mega evento focado no Rei Destruído, nas Ilhas das Sombras e em Águas de Sentina. Veja abaixo o desenvolvimento da minha teoria.
  1. O jogo do Rei Destruído: Como muitos de vocês já sabem, a Riot anunciou, no seu aniversário de 10 anos, alguns jogos novos, como Valorant, Legends of Runeterra e o jogo do Rei Destruído. Por enquanto a única fonte oficial que temos é o trailer do jogo.
  2. O trailer do jogo do Rei Destruído: No trailer, podemos ouvir a voz de Thresh enquanto vemos algumas imagens que parecem ser das Ilhas das Sombras e de Águas de Sentina. Thresh fala que haverá um tormento por TODA RUNETERRA. Além disso, ele diz que conheceremos o "seu nome", ou seja, o nome do Rei Destruído. E no final do trailer nos mostram as Águas de Sentina.
  3. Yasuo: Durante o Evento do Florescer Espiritual, tivemos o lançamento do irmão do Yasuo, o Yone. Junto com ele nos presentearam com uma maravilhosa animação contando um pouco da relação dos irmãos Yasuo e Yone. No fim da animação "Irmãos da Lâmina Manchada", podemos ver Ahri e Yasuo dentro de um barco indo para Águas de Sentina. E é óbvio que isso não foi colocado ali à toa. Algo acontecerá em Águas de Sentina.
  4. O novo duelista da selva: No mapa dos campeões de Setembro de 2020 foi revelado que em 2021 teremos um novo personagem para a selva. Com o título "Obsessão Problemática", o mini texto diz:
"O que vocês fariam por amor?
Iriam até os confins do mundo?
Desistiriam de tudo que têm?
Chegariam até a linha tênue que separa a vida e a morte?
Se tiverem disposição para qualquer coisa MESMO, vocês podem acabar se apaixonando pelo novo duelista da selva, que arrasará corações e possuirá mentes no início do ano que vem."
E é quase impossível não relacionar isso com o Rei Destruído, que basicamente transformou as Ilhas das Bençãos em Ilhas das Sombras por conta de seu amor obsessivo por sua falecida esposa.
  1. Lore dos itens do Lol: No "Pergunte à Riot: fazendo a dublagem do Fiddle", a Riot nos disse que é quase certo que eles contarão mais histórias envolvendo os itens do LoL. Eles explicaram que pode ser complicado contar uma história interessante baseada apenas em um item, mas seria muito interessante se a história envolvesse grandes personagens. Eles também mencionam Doran, Capítulo Perdido, Lágrima da Deusa e Espada do Rei Destruído.
E ligando esses pontos, podemos supor que teremos um grande evento no ano que vem envolvendo: O Rei Destruído como personagem jogável, o jogo do Rei Destruído, um evento que se passa em Águas de Sentina, a participação de Yasuo e Ahri em novas histórias e talvez com skins novas.
submitted by SandovalGalafuz to u/SandovalGalafuz [link] [comments]


2020.10.20 03:53 Control-Much Eu me sinto estranho, eu sou estranho pra caralho

Geralmente eu não sou um cara de pedir auto-ajuda, sinceramente esse é meu primeiro post aqui no Reddit, (acredito que já lurkei o suficiente) a real é que eu fui abusado pela amante do meu pai bem novo. (ela tinha 24 e eu tinha 8) isso se perpétuo até meus 13 eu acho com isso a infame desgraçada além de enfiar o dedo no meu rabo conseguiu me transformar em um garoto bem introvertido e quieto, logo, um punheteiro bem novo ela conseguiu me “depravar” bem novo fazendo eu me tornar uma batata social que vivia em função de realizar os desejos pedófilos dela, na real é que eu me sinto culpado por gostar disso além dela ser amante do meu pai e morar na minha casa como se fosse filha da minha mãe (ela simplesmente agiu como santa para ser acolhida pela minha mãe, a mesma tratava ela como minha irmã) logo isso me fez desenvolver vários problemas como fobia social e problemas de insônia pós ela fazia questão de me “felar” a noite assim quando bem entendia, eu geralmente falava não e que ela não podia fazer aquilo comigo então ela tampava minha boca com a mão e continuava.
A longo prazo isso me ferrou de diversas formas tanto nos meus relacionamentos, quanto na vida social e profissional. Além deu ter ereções aleatórias, isso não parou nem depois da puberdade. Eu sou um viciado em pornografia e sexualizo coisas simplesmente não saudáveis, claramente minha mente se tornou perturbada depois daquilo, mas eu nunca desenvolvi um quandro mais sério quando eu era novo, não comparando do que eu desenvolvi uns anos para cá.
Bom, assim que eu cheguei nos 14 e arrumei minha primeira namorada é que eu tive uma epifania, a primeira é que minha vó é uma arrombada (ela simplesmente impatou a minha primeira foda porque minha mãe pos ela de babá para não deixar eu meter o boneco na menina, depois que minha vó expulsou ela da minha casa logo depois essa garota terminou comigo) a segunda é que minha vida não tinha muito sentido as pessoas me usavam para ter o que elas queriam seja prazer momentâneo, objetos, serviços ou apóio moral e logo depois me descartam como um trapo velho, isso tudo veio junto com a morte do meu tio com 42 facadas na barriga, querendo ou não meu tio além de um grande cheirador de coca, era um dos meus melhores amigos (Ele me mostrou jogos online, lan houses, amigos, e cuidava de mim verdadeiramente sem pedir nada em troca além de um dinheiro para ele comprar um saquinho da fininha as vezes) Ele simplesmente curou minha fobia social e fez eu ter a infância que eu tinha perdido por ser um escravo sexual sem amigos de uma deposito imunda que nunca se importou comigo.
Assim que ele morreu meu mundo desabou foi a primeira experiência com a morte que eu tive, logo de alguém tão próximo, isso me quebrou de diversas formas.
Com isso veio a inevitável depressão eu literalmente só existia para um propósito merda, eu comecei a fumar cigarro para passar a ansiedade bem novo com 15 eu já fumava os “diversos” aquilo me trazia a sensação de leveza, mesmo que fosse uma paz momentânea, era como se meu cérebro parasse de “autistar” (eu sou hiperativo) mesmo eu queimando cada sinapse cerebral que eu tinha, aquele amargo na boca me deixava calmo.
Meu vício e depressão perduraram até um webnamoro merda que eu tive em que eu acreditava que era a “garota perfeita” pura ilusão de um emocionado eu realmente pensei que eu poderia vê-la, ter uma família com ela, conseguir consertar as merdas que eu fiz para mim mesmo e começar a amar o falo ambulante que as pessoas acham que eu sou, eu simplesmente dei tudo para ela e durante os primeiros 7 meses foi tudo ok, era muito amor e muita consideração minha, pois eu sou um cara muito “good guy”, ela tinha uma depressão bem forte por conta do pai abusivo e da mãe ausente (o pai dela é pastor e espanca os filhos, fica bêbado, vive na degeneração, bolsominion) esses pontos que geraram uma “femcel” esquerdista e bissexual.
Ela era fofa, eu achava que estava apaixonado, mas como todos os meus namoros ela só meu usou porque não tinha nada melhor. E me trocou por um ex paulista “femboy” que exigia nudes dela e a travata como lixo, simplesmente eu me sentia muito culpado, pois eu tinha me iludido em algo que claramente não tinha futuro, mas eu sou extremamente carente então o melhor encantamento para me levar no bolso é dizer que me ama, independentemente da circunstância, literalmente ela dizia coisas para eu me sentir horrível comigo mesmo e logo depois dizia que me amava, eu me sentia abraçando um cactu mesmo que não fosse de “verdade” era a primeira vez que alguém falava que me amava, eu entrei em pânico, mesmo eu sabendo cada segundo que aquilo não era o certo a se fazer e eu estava regredindo.
Querendo ou não ela me ajudou a superar uma fase da minha vida, mas eu nunca parei de me sentir um objeto. Na real eu ainda tive mais certezas disso eu simplesmente sou um dildo de plástico que estou na gaveta para quando elas não têm ninguém. (não eu não me considero bonito, longe disso eu to mais para brasileiro morador de periferia padrão)
Logo depois disso eu quis adiar o problema e começar a sair mais com meus colegas e meu primo começou a morar aqui por volta de 3 meses foi tudo tranquilo até que fomos num “hokah” (buteco adolescente) nós juntamos lá, eu comecei a beber até que perdi a inibição e comecei a ir em toda mulher que eu via pela frente igual um macaco, a primeira me achou simpático e me puxou pro canto quando tudo já ia dar certo um colega me barrou dizendo que ela já tinha “dono”, eu ri e meti um “a gente divide, né pae” meu colega riu muito, por ele conhecer ela a mais tempo eu decidi não “profita-la”, mesmo com ele não conseguindo pegar ela depois, por pura consideração pelo cara, eu fui em outras 6 depois dessa e tomei fora de todas e ganhei um apelido de 7.
Na real é que as garotas agora me viam como uma piada que está lá para quando inflar o ego delas para quando elas precisam, tradução literal: “esquento para um babaca com grana comer”. Esse foi um dos momentos mais WTF possíveis na minha vida se não fosse a briga com meu primo que rolou depois. Ele ouviu o que eu tinha comentado com o meu colega e como as pessoas gostam de me oprimir inventaram uma história vergonhosa sobre meus foras para parecer herói na frente no irmão do meu melhor amigo, e como o resto dos meus amigos de infância babam o ovo do meu primo eles literalmente concordaram com ele criando 3 histórias diferentes do ocorrido literalmente forçando que eles eram “os heróis que salvaram o pequeno betinha de ser cobrado na saida do butequinho”, além do meu primo viver se achando o bonzão ele era um gigolô da porra em casa e só aproveitava não dando uma foda para minha mãe, sendo que ela fazia das tripas coração pro arrombado ele nunca tratou ela do jeito que ela merecia, eu cobrei a mentira que ele inventou e simplesmente fui contra toda a minha rodinha de amigos sendo fraco e falho.
Eu não deixei ele falar toda aquela merda sem ter penalidades, mesmo implorando para ele parar de falar e párarmos de discutir, ele veio para cima eu dei um no queixo e na orelha.
Foi o suficiente para deixá-lo katinguelê, então ele me ameaçou de pegar uma faca para mim, então eu quebrei uma bacia de vidro e com a mão e com os cacos sagrando na minha mão eu falei “tu meu irmão, que viveu a vida toda comigo, vai me furar, na nossa casa, com a nossa família aqui, NA MINHA CASA?”. Além de jogar umas coisas na cara dele porque ele merecia.
Foi o suficiente para minha mãe expulsar ele de casa, meus amigos acharam que eu armei para ele e a pessoa que literalmente passou 16 anos da vida ao meu lado meu melhor amigo chupou o ovo do meu primo, vendo tudo que ele diz como verdade absoluta.
Mais cedo ou mais tarde íamos brigar eu acabei de brigar com outra pessoa que viveu a vida toda ao meu lado, isso para mim, é frustrante porque literalmente eu sou dependente de toda emoção positiva que as pessoas têm por mim, ele usou o argumento que eu sou “mimado” por não ter nada da forma que eu quero, mesmo eu saindo errado em tudo quase sempre. Esse argumento ele valida falando que “eu tive tudo na vida agora não aguento perder”, eu esqueci de falar que a amante do meu pai antes de ser pega pela minha mãe roubou todo o dinheiro do meu pai e sumiu do mapa.
Meu pai trabalha no comércio então com a crise, inflação, copa do mundo, carnaval e covid. A gente sempre passa um aperto aqui e alí.
Eu simplesmente sou muito sensível a essa merda eu não sei porque esse padrão aleatório de merda me segue e eu não consigo ser feliz, ou do porque eu me importar com isso.
¹Edit: eu comecei a gostar de trans então a tampa do bueiro leva ao esgoto, por isso eu to aqui. ²Edit: eu me sinto sozinho e vulnerável ³Edit: eu sinto que a minha solução seria uma pessoa que sofreu tanto quanto eu para me entender verdadeiramente. ⁴Edit: esse post é frescurento para um caralho, pois eu sou horrível contando algo então essa merda parece pura frescura, mas foi traumático cada segundo ⁵Edit: apanhei para caralho na escola quando era muleque por ser esquisito ⁶Edit: minha irmã não me suportar e tentou me matar usando um iPhone 6 plus, ela quebrou ele na minha cabeça 8 (pontos). ⁷Edit: tentei me matar usando cabo de extensão no box do banheiro e pulando de uma cachoeira.
⁸Edit: é minha primeira vez sendo op aqui, não tenho muito experiência.
Also, acho que embananei essa porra para caralho e não cheguei em lugar nenhum, mas eu precisava de um lugar para postar essa merda sem polimentos com esses pensamentos abstratos antes que eu comece a chorar pelo quão random essa merda de vida é.
submitted by Control-Much to desabafos [link] [comments]


2020.10.20 03:06 JuninBrT Duas coisas

Primeira: quando foi que o tadeu virou o neuer? pelo amor de Deus, eram pra ter tido uns 5 gols do botafogo se não fosse esse cara “ah, mas o goleiro serve pra isso” não do goiás, o time tá em último e o goleiro dos caras é o melhor do mundo. Segunda: Peço a todos que joguem o seu tempo fora assistindo um jogo do botafogo focando sua atenção apenas em Forster, o camisa 5 do botafogo e vejam que todos nós poderíamos ser jogadores profissionais, pq se aquilo, aquela desgraça, é jogador qualquer um pode, pelo amor de Deus, o cara não faz nada e quando faz só atrapalha. Hoje não tem boa noite nessa bosta pq eu tô com raiva. boa noite Edit: Quando meu time começa a finalizar e eu fico no gás, vem um cara desse por conta do samurai e defende o gol até do vendo
submitted by JuninBrT to futebol [link] [comments]


2020.10.18 18:00 Broken1nside Procurando por colabs no YouTube ♥️

Oi meus amores, eu adoro essa comunidade e queria dizer que tenho um canal no YouTube!
Estou buscando pessoas que queiram fazer colab de vídeos, eu jogo Dota 2, mas estou querendo abrir meu conteúdo para outros jogos, tenho jogado free fire, lol, cod mobile, among us!
Meus vídeos de Dota são de ajuda para iniciantes ou players com mmr baixo.
Se alguém tiver interesse, me manda uma mensagem e partiu fazer algo 😍
submitted by Broken1nside to gamesEcultura [link] [comments]


2020.10.18 03:20 kacchan99999999999 Quando vejo jogos grátis que do nada viram a [email protected] de 93 conto pra 28 lembro do luba sem um amor pra dar 93 conto

Quando vejo jogos grátis que do nada viram a porr@ de 93 conto pra 28 lembro do luba sem um amor pra dar 93 conto submitted by kacchan99999999999 to nhaa [link] [comments]


2020.10.18 01:38 isabell75 Amizades antigas e tragédias

Sabe aquela pessoa que você cria um laço de carinho muito forte à ela? Então eu e minha irmã mais velha conhecemos duas pessoas em um aplicativo para jogar jogos on-line,e a gente sempre pensava que garotos só pensam naquelas coisas (se é que me entende),e realmente a maioria é assim! mas graças à Deus esses garotos não tinham interesse nesse tipo de coisa. Então ficamos amigos e criamos um laço de amizade muito forte,e geralmente quando isso acontece os garotos pedem o seu número pra ser mais que amigos,mas para a nossa sorte(ou azar,não sei dizer)eles não pediram e aí ficamos conversando pelo Discord,sabe trocando idéias e pedindo conselhos. Minha irmã ficou muito constrangida no começo,porque ela é meio tímida e também pelo fato de ela não ter muitas amizades no colégio,ao nosso redor parece que só existem "amigos" que pedem nossa ajuda pra alguma coisa e quando você pede,eles simplesmente te negam.
No Discord nós conversávamos sobre jogos eletrônicos(no geral era Minecraft),cifras,dia-a-dia,dicas sobre qualquer coisa,etc.
Eu e minha irmã ficamos esperando o óbvio acontecer,você sabe! O famoso "Querem namorar conosco?"(no nosso caso),mas glória à Deus isso não aconteceu,ficamos só na amizade mesmo.
Os dias se passaram e aí uma coisa triste aconteceu,recebemos a notícia de que seus parentes haviam falecido,uma coincidência terrível!E quando nos contaram isso fizemos uma ligação de vídeo imediatamente,para poder consola-los. Ficamos com medo de que acontecesse o pior,o que Deus não permitiu.
Desde então nós sempre conversamos,e eles nos disseram uma verdade:
"Os verdadeiros amigos são aqueles que te dão atenção e amor nos piores momentos"
Eu concordo plenamente com isso! Pessoas que são os seus "amigos" não te dão um mínimo carinho,essas pessoas na verdade vêem uma coisa que interessa à elas e geralmente essa coisa esta em você,pode ser uma qualidade ou algo benéfico,ou seja,elas pensam assim: "Eu em como o banquete,vocês as migalhas".
Na minha humildade opinião esse tipo de pessoa deveria falecer(desculpe se fui insensível ao seu ponto de vista,mas é isso que acontece.)!
Certo,agora de volta aos nossos amigos!
Eles ficaram bem tristes com o ocorrido,então eu e minha irmã tivemos uma ótima idéia!
Nós fizemos um vídeo dizendo"nós sempre seríamos amigos,não importa o que aconteça!" e outras coisas para deixá-los alegres.
Agora que temos confiança uns com os outros eu e minha irmã disponibilizamos nossos números pra gente ter uma amizade mais sólida.
Aí você pensa:" Então vocês estão namorando?" E a resposta é não! Eles não são gays! Eles só não namoram ainda,acho que esse tipo de coisa nem passa pela cabeça deles. Nós não passamos de amigos
E desde então nós somos verdadeiros amigos! E eu e minha irmã guardamos eles no nosso coração.
Você sente que eles não vão te trair(obs:não pense com a idéia errada) e realmente isso acontece,mas para a nossa sorte isso não aconteceu.
Nós sempre devemos ser gratos à tudo o que Deus nos deu e devemos lutar pelos nossos sonhos e objetivos!
Então se vocês(estou me referindo aos meus amigos) estiverem lendo isso(o que provavelmente vai acontecer porque eu compartilharei isso à vocês) eu quero dizer que somos realmente gratas por terem vocês como nossos amigos,e que vocês sempre estarão em nossos corações!!
Com amor sem fim Isa Bell e Nicole Bell.
Nos desculpe se o nosso foi grande e entedioso,é que queríamos realmente agradecer do fundo de nossos corações.
Agradecemos por serem nossos amigos à Rayan e kennyth_uchiha(usertag da Omlet Arcade).
submitted by isabell75 to u/isabell75 [link] [comments]


2020.10.16 21:12 Scalira Escritor frustrado pede opinião

Alguém poderia ler e me dar um feedback?
CITTÀ — di — C A R T A
.
prologue
.
Era eu, então, um garoto e já era ela uma mulher num corpo de menina.
Creio eu que as garotas amadureçam mais cedo: despertam para o amor e para os caprichos da sensualidade enquanto somos ainda só meninos apavorados, acossados às saias das mães e desejosos de videogames e jogos de bola. Seus olhos afloram antes para a ternura das paixões e seus lábios florescem antes a receber os beijos de um amante, enquanto os nossos são turvos, velados pelos constrangedores beijos lamechas das tias. Selina era uma mulher; eu, um menino. E era ela o meu fascínio.
Sentávamos na mesma fila, na mesma sala. Eu atrás dela. Via, dia após dia, aquele seu cabelo louro que era tal qual aço escovado. A curvatura perfeita de sua nuca; a pele de um bronze-praia que se perdia na gola da camisa para esconder sabe deus quais mistérios, sabe deus quais prazeres. Havia ali, entre o pescoço e a orelha, uma marca de nascença que era a marca de um pirata; o sinal de um tesouro enterrado que eu desvendaria se pudesse estirar os dedos e tocá-la, deslizar a ponta dos dedos pela arredia penugem dourada de sua orelha. Haveria um arrepio, então. Haveria eletricidade no ar, como o assobio da tempestade no vento. Ela voltaria os olhos para trás e eu veria o assombro de surpresa naqueles olhos verde-mar com os quais eu sonhava sem saber por quê. E o que eu faria, então?
Meus desvarios mais inventivos envolviam segurar-lhe a mão, eu acho. Examinar-lhe os dedos. Andar com ela pelos corredores, de mãos dadas. Sentar-me com ela no recreio.
Mas era eu um garoto e era ela uma menina. Uma menina crescida. Seus olhos eram velhos quando os meus eram novos. Ela vira o mundo. Havia visto as estrelas e já eram elas puras banalidades para as quais os meus olhos ainda não haviam ascendido. Eu ainda deslumbrava-me com a beleza do mundo, das coisas vivas, da simplicidade; ela trazia um cansaço naqueles ombros escondidos que eu jamais conheceria.
Mas eu a amava. Sei que amava. O amor puro de uma criança por outra criança. O amor puro de um menino que sonha em segurar a mão de uma menina e olhar fundo em seus olhos e dizer que a ama. Sonhava, talvez, com a esperança — oh, a mais irreverente loucura! — de que ela me beijasse a bochecha. Haveria, então, combustão. Seria eu fogo, seria ela paixão.
Eu a amava, mas Selina não amava ninguém.
Não fomos amigos naqueles dias de infância.

Fui-me embora naquele ano com meus pais a tentar a sorte na grande São Paulo, quando pensávamos haver por lá melhores oportunidades do que na pequena Buri. Meu pai, trabalhador do campo, sobreviveu a duras penas na selva de pedra e, quando o dinheiro encurtou e as contas do mês apertaram, fizemos o caminho de volta para o interior e para os roçados arrendados nas grandes plantações. Os grandes laranjais iam até perder de vista naquela terra escura queimada a café e, quando voltamos àquele rincão, houve uma choça para nós, a que chamamos de lar, e nos juntamos aos trabalhadores pobres a lavrar a terra e colher as frutas rotundas, rebentando de doces, trazidas a baixo por nossas mãos calosas e feridas.
À nossa chegada o sítio era um pedaço de terreno pantanoso, no qual o barro formava poças lodosas onde corriam cães e trotavam mulas e o pouco de verde que havia de grama penava a vingar sob o pisoteio dos animais. Pela manhã, duas vacas careciam de ordenha. Os porcos chafurdavam irrequietos no chiqueiro e um velho galo, cujas esporas saltavam para fora dos pés tais quais duas baionetas, esgoelava-se ao nascer do sol e ao findar do dia. Era seu canto agudo bramido do topo dos telhados que marcava o passo do dia de trabalho. O sol inda nem nascera e estávamos, então, em pé: era eu moço feito no estirão da idade quando voltara à vida do roçado em Buri.
Eram corridos dez anos desde que vira Selina.
Ela era um casual sonho que visitava-me tal qual o lampejo de uma luz que faiscasse na mais completa escuridão. Lembrava-me, então, da garotinha do cabelo dourado; o anjo de bronze que caminhava entre nós e cujos olhos distantes falavam do mar e de traiçoeiras águas. Ela, que jamais fora minha amiga. Ela, que jamais voltara o rosto para trás. Não havíamos trocado palavras naqueles longínquos dias de escola e, inda assim, eu a amara. Uma criança, verdade, mas puro era o amor que eu havia lhe entregado. Nem antes, nem depois pude experimentar a mesma pureza de sentimento que havia sentido por aquela luzinha que brilhava no escuro dos dias, nas primeiras horas da manhã; aquele sorridente solzinho de caninos acavalados a quem eu daria o mundo para que sorrisse para mim. Mas então, tantos anos depois, moço beirando a maioridade dos dias, sua lembrança era só um faiscar de nostalgia, um borrão lançado a uma página; uma figura fugidia que brincava entre meus dedos e que desaparecia toda vez que eu tentava olhá-la mais de perto.
Àquela feita eu já havia conhecido os mistérios que guardam as mulheres. Havia trocado beijos com as moças da cidade e deitara-me em seus braços desejosos de paixão. Havia perdido a crença em amores que duram para perder-me no vale dos prazeres que aqueles corpos delgados ofereciam sem muito compromisso. No fulgor da adolescência garotos são só garotos: há competição por quantas bocas beijamos, por quantas frases feitas nos conseguirão o calor do corpo de uma jovem guria. Assim, um rosto era só mais um rosto. Um beijo, só mais um beijo. Um corpo, só mais um corpo. E eu me perdia na imensidão das mentiras contadas, dos casos escondidos, das escapadas noturnas e o fastio daquelas perambulações só me fizeram descrer do que quer que eu tenha acreditado, um dia, que o amor pudesse ter sido. Via-me num interlúdio de paixão e prazer que era inócuo de sentido.
Mas de vez em quando eu pensava na luz.
Pensava naquela figura fugidia que já não me permitia vê-la, como fosse eu um garoto crescido que deixara de crer em fadas.
Já não me lembrava de como era a sensação de amá-la. Algo em mim doía por esse amor perdido, jamais realizado. Mas era essa a vida. Cremos eternas certas coisas — a dor, o medo, o amor —, mas tudo passa. Ficam-se as lembranças, mas mesmo estas são incertas; cremo-nos muito certos de que as coisas foram tais quais foram, mas, assim, por que não podia mais lembrar-me do exato verde-mar dos olhos dela? Não lembrava-me mais se a marca — a marca do tesouro, a marca dos mistérios — ficava à esquerda ou à direita e quanto mais tentava vê-la com clareza, mais sua imagem desfazia-se no luscofusco da névoa; ora surgindo, ora desaparecendo. Sabia que havia amado, mas não sabia mais que queria dizer isso, tal como sabia que um dia tivera, eu, oito anos, mas já não podia reproduzir a velha alegria da infância ao bel-sabor da adolescência.

Não a reconheci quando a vi outra vez. E quando a reconheci, não houve, tal qual nos livros, o reavivar do amor esquecido.
Ela era outra, e eu também. Não tínhamos mais oito anos e jamais teríamos outra vez. O passado era melhor intocado, diriam. Uma memória perfeita, cristalizada no tempo; um reino próprio em que não se pode mexer nem alterar. E mesmo lá, talvez, eu não a houvesse compreendido; mesmo lá, talvez, eu não a houvesse amado — a Selina-menina, a Selina-verdade —, mas amara um sonho. O sonho que tinha dela, o sonho de tocar-lhe as mãos e de sentar-me com ela no recreio. O sonho do seu sorriso amado. Mas havia fechado os olhos para os dela; aqueles verdes-mares antigos, antigos como a terra, aos quais nunca me dei o luxo de entender. Não sabia disso, então, mas agora, já velho, ao escrever estas memórias, vejo que a Selina amada só existira, então, em minha mente, onde ela era toda a certeza de uma vida de sonho e felicidade. Não pude entendê-la, então. Duvido que possa entendê-la agora. Viemos a nos conhecer, como ficará claro adiante, mas Selina era então, como o é agora, um mistério para mim.
Estávamos matriculados no mesmo liceu e, quando as aulas retornaram, esbarramo-nos pelos corredores. Não estávamos na mesma classe - havia eu reprovado um ano do ginásio a procurar emprego em São Paulo e, uma vez arranjado, trabalhara no carregamento de caminhões por todo o dia. Não era boa a paga que roubava-me de meus estudos, mas eram aqueles dias difíceis e qualquer vintém a mais pesava na comida da mesa. Estava no penúltimo ano do colegial e ela já findaria os estudos naquele ano em que a reencontrei.
Selina estava mudada. Não era algo em seu porte ou seu semblante, pois ainda havia muito da menina da carteira em frente naquela moça que nascera ali, e, embora houvesse crescido um palmo e ganho a sinuosidade em que se perdem os olhos masculinos, pouco mais mudara. O que não me permitiu reconhecê-la, porém, não foram suas ancas ou seios, nem o crescer de seu palmo e meio, mas a ausência da luz que antes alumiara as infindáveis manhãs de nosso antigo colégio.
Era tal qual um vagalume moribundo e, naqueles seus olhos fundos, podia ler eu estórias de privações e de castigos que a haviam esmorecido e, vez a vez, acossaram o brilho de estrela da menina amada até não ser mais que o último suspiro de uma vela que morresse na noite mais escura.
submitted by Scalira to desabafos [link] [comments]


2020.10.16 20:20 geminianopensativo Mudanças repentinas de um geminiano x capricorniano

Já ouvi muitas histórias de pessoas dizendo que querem o ex namorado bem longe, mas a minha situação é diferente. Já gostei muito dele, e ele já tentou gostar de mim. Apenas estudávamos e no decorrer desta caminho, começamos a trabalhar e a criar uma rotina um pouco quanto chata e limitadora para nós dois. Eu queria muito poder voltar no tempo e falar com o eu do passado, dizendo o que vai acontecer para se preparar hhahahaha... aiai... continuando... com todos esses acontecimentos acumulados e muitos outros, tenho certeza que ele não se permite mais a tentar gostar de mim...sua última mensagem foi "não sei até quando vou continuar te curtindo"... sim, ele já conseguiu acabar com tudo, aquela foi a última vez. Respostas breves, sem querer conversar... quem conversa sobre esses assuntos por mensagem? será que as pessoas não tem coragem de falar face a a face? da última vez que tentei conversar com ele enquanto eu estava na casa dele, ele não queria papo, só queria que eu fosse embora e estava de noite e eu de bike. Não sei até quando vamos ficar sendo egoístas e não chamar um ao outro para poder conversar. Concordo que sinto a falta dele e sei que ele sente a minha falta, mas ficamos com um bloqueio entre nós... parece um jogo e quem chamar o outro, acaba perdendo, se rendendo... eu penso que se eu o chamo, estou pedindo pelo amor de Deus para conversarmos. Já passei dessa fase, no início era assim. Hoje em dia já não tenho mais paciência. Eu poderia ter ido embora naquela noite, assim como ele queria? Poderia... mas seu eu fosse de taxi, eu teria de voltar para buscar minha bike... o que eu queria naquele momento era coragem para ir embora, na escuridão. Mas fiquei por lá... acordei o mais cedo possível e fui embora. Não dei tchau, mas escrevi um bilhete dizendo que eu achava que era errado de estarmos juntos, sendo ex namorados. Depois de um tempo, ficamos mais uma vez. Foi a última... Toda essa história daria para escrever um livro, gosto de fazer anotações e tenho todas as fases de nossa relação...
submitted by geminianopensativo to u/geminianopensativo [link] [comments]


2020.10.14 19:38 igorgom3s Desabafei pro meu melhor amigo que gosto dele e pedi pra ficar com ele.. +18a

Eae galera entao, sou novo aqui e esse e meu primeiro post. Recentemente a uns 3 meses eu conheci um menino (q vamos chama-lo de J). Quando eu vi ele pela a primeira vez eu ja meio q gostei dele, e entao investi na amz pra la na frente tentar algo com ele. Só que oque eu nao poderia imaginar é que nossa amz cresceu mt rapido, e hj ele e como um irmao para mim um irmao mais novo q nunca tive. E minha mente ta uma bagunca de sentimentos.
Vou explicar um pouco sobre minha sexualidade. Eu nao consigo ainda saber oque sou, tipo gosto de mulheres, pretendo ter um relacionamento ao ponto de construir uma familia e talz... Mas tem vezes que gosto de meninos, mas nao qualquer um. Sou gordinho e sempre fui, e sempre que vejo um gordinho tipo eu eu acabo olhando de outra forma (tenho mais atracao por esse tipo de pessoa). ja tive relacoes com ambos. Mas nao me relaciono com a pessoa do mesmo sexo se nao conheco a pessoa ou se nao tenho o minimo de afinidade. Nao me vejo namorando uma pessoa do mesmo sexo, ao ponto de morar junto e viver junto. A nao ser que eu AMO de mais essa pessoa, que esta sendo o caso com esse J. Cara se alguem souber oq sou agradeco kkkkkkk.
Mas no decorrer da nossa amz eu me apaixonei por ele, pelo o seu jeito simples e humilde de ser, pela as suas brincadeiras... enfim. kkkkk Quando eu estou com ele eu me sinto o maximo, ele é meu porto seguro. Quando ele veio em casa a primeira vez, conversamos mt, zuamos junto e em um desses momentos ele sentou no meu pc e foi jogar um jogo... entao pedi para mecher no celular dele e sem querer querendo eu vi um nuds no cell dele e pronto. Fiz de tudo para pegar aquele nuds pra mim e deixar guardado. E fiquei pensando cmg mesmo se ele era.
No passar dos dias e semanas juntos a nossa amz foi crescendo rapido e cada vez mais, comecei a ficar com crises de ansiedade por ter medo de perde-lo, medo de perder nossa amz. Quando me dava essas crises eu ficava ruim, nao conseguia dormir e quando estava com ele ficava na bad, triste. Ele até tentava me ajuda conversando e me incentivando maaaas o medo era maior. Era uma inseguraca de nao ter mais ele. Sentei com ele e disse tudo q estava sentindo, disse q estava com medo de perder ele por saber oque ele significava pra mim, o quanto eu gostava dele como amg (nao disse q realmente gostava dele). Ele foi super amigo e disse para eu ficar tranquilo que nossa amz por parte dele nunca ia acabar pq eu tambem significava mt pra ele.
Com o passar do tempo isso uns 2 meses, tive momentos incriveis com ele, brigamos por coisas bestas, choravamos nas brigas, mas sempre se resolvendo. Mas foi crescendo dentro de mim um sentimento chato por assim dizer. Quase em todo os momentos junto com ele eu sempre me imaginava sendo algo alem de um amg, me imaginava tendo momentos quentes com ele. Não podia brincar com ele de lutinha q ficava com um Tzao do caralho ao ponto de ter que sair de perto pra ele não perceber. Mas não podia falar isso para ele por ter medo de perde-lo.
Um belo dia a noite dps de passar o dia inteiro com ele triste, resolvi abrir o jogo.. resolvi fala pra ele o pq que eu ficava triste do nada, ficava fechado. Disse tudo oque estava sentindo por ele e o quando ele mexe cmg. Mais uma vez ele foi super compreensivo e me disse que ele não curtia, disse que não ia rolar. Mas que me entendia, entendia q sentimento a gente não escolhe com quem vai ter. Também disse que nossa amz continuaria a mesma.
Comecei a gostar mais ainda dele, o jeito dele de ser, cara isso mexe cmg. A humildade dele a carisma, a inocencia dele, enfim. Hoje eu ja não tenho mais esse medo de perde-lo, medo da nossa amz acabar. Mas é eu pesar naquilo.. ou sonhar com aquilo... nos dois juntos. Fico mal, triste... meu dia acaba. Ontem acordei um caco, pra baixo, e fiquei o dia inteiro pensando em uma forma de falar pra ele que queria ficar com ele. Queria fala pra ele tentar pelo menos uma vez... dar uma chance.
Não consegui falar em palavras isso pra ele, entao escrevi um puta texto e mostrei pra ele no meu celular, disse pra ele ler até o fim e me dar a resposta. No texto eu dizia o quanto ele realmente mexe cmg e que tenho esses pensamentos e sonhos que acaba cmg. Pedi pra nos tentermos fazer algo.. relacionado a sexo, para que eu realmente enxergasse de vez oque sinto por ele, se e só tzao ou amor.
Ele leu o texto todo e me chamou pra conversar, disse novamente o quando eu significo pra ele e que ele não quer me perder, mas disse não a respeito do meu pedido. Disse novamente que não gostava que não tinha atracao e que me entendia. E bom mais uma vez eu to um lixo, pq eu realmente gosto dele realmente queria mt ter algo com ele seja so momentania... prazer... ou algo duradouro.
Desculpe pelo o jeito q escrevi... esta sendo tudo novo isso que estou passando com ele... essa explosão de sentimentos. Não quero perde-lo de jeito nenhum e não me vejo sem ele nos momentos felizes e tristes. Mas tambem não quero sobrecarregar nossa amz, não quero ficar mais triste cmg e na presenca dele... não quero que ele se canse cmg. Mas tambem não sei oque faco para tirar de vez esses pensamentos chatos q tenho.
obrigado por lerem ate aq. se quiser me ajuda com algo serei mt grato
submitted by igorgom3s to desabafos [link] [comments]


2020.10.13 07:54 umaqualquer1 A maior dor do mundo

Esses dias eu li uma reportagem sobre o 1° cara que curou-se do HIV no mundo (e ainda tinha câncer), e apesar de todas essas dores, adivinha qual foi a que ele disse que era pior? isso mesmo, a droga do amor.
E cá estou eu nesse momento passando por essa dor. Eu não pensei que essa fosse a minha primeira decepção amorosa, mas parece que "finalmente" estou vendo que sim. As outras decepções que eu já tive não são nada se comparadas com essa. Que dor horrível. É como se tivessem arrancado o meu coração e deixado um imenso vazio no lugar, um vazio, é assim que eu me sinto, vazia.
Você deve ta pensando, mas mds pq tanta dor? Cara eu te juro que eu era extremamente feliz comigo mesma antes dele, tipo 100%, eu me amo e gosto muito de quem sou, mas parece que não tê-lo aqui tira toda a graça da vida. Pra quem eu vou contar reflexões idiotas que tive sem ser julgada? quem vai jogar jogos bobos comigo e rir do meu estresse sempre que eu perco? quem vai dar pequenas alegrias pra minha vida sem que eu nem perceba?
submitted by umaqualquer1 to u/umaqualquer1 [link] [comments]


2020.10.12 03:11 zsagattigerz Minha esposa pediu um tempo.

Estou passando por uma situação muito difícil, a minha esposa me deixou a 5 dias atrás pedindo um tempo em nosso casamento, tirou todas as coisas dela do apto e foi pra casa da minha sogra, minha esposa continuo conversando comigo pelo WhatsApp falou que era um tempo até eu me tratar do meu problema com álcool e cigarro e até indicou um psiquiatra ai entã eu mostrei fraqueza fique pedindo pra ela volta e etc... Então ela falou muitas coisas ruins dizendo que não volta mais e que tudo acabou e pra mim seguir a minha vida porque eu só atrapalhei a vida dela. Então falei adeus pra ela e Continuei postando coisas no whatsapp e ela vê todos, comecei a conversar com a minha sogra que me disse pra eu deixar ela que ela volta e fala coisas ruins pra mim pq está brava. Eu amo muito a minha esposa e não queria perder ela. Eu sei que errei pq estava fumando cigarro escondido dela e tenho problema com álcool. Estou desesperado fui na paróquia aqui perto de casa e rezei pra deus me ajuda e eu não tenho nem um amigo pra conversa, estou sozinho no meu apto. Eu ainda sinto no fundo que meu casamento ainda não acabou é uma sensação que não consigo explicar. Mas, parece que ainda vamos volta. O que eu na entendo nas mulheres é o porque ela está fazendo isso comigo dizendo que tudo acabou pra eu esquecer ela e seguir a vida. Mas continua vendo meus status no whatsapp não me bloqueou e pediu pra eu me tratar do meu problema com álcool. poxa eu fico na dúvida se acabou mesmo ou ela só está brava e vamos volta. Estou chorando muito e com o psicológico abalado as mulheres são muito complicadas tem momentos que dá esperança e em outros não.. alguém já passou por uma situação assim ?
12/10/2020 Deixei de fumar e estou tomando remédios para ansiedade, fui até a paróquia do bairro e rezei por mim e minha esposa.
13/10/2020 Ontem minha esposa havia me bloqueado no WhatsApp e hoje pela manhã me desbloqueou. Minha pediu pra eu mandar mensagem para a minha esposa mas eu estou com medo da reação dela.
14/10/2020 Após dias discutindo no whatsapp ela me bloqueou varias vezes e desbloqueou hoje trocamos Bom dia ! E ótimo trabalho, não vou fala mais nada quando chegar de noite eu vou mandar um Boa Noite!
16/10/2020 2 dias sem conversar com a minha esposa, estou conversando muito com a minha sogra e ela me falou que a minha esposa está reclamando muito, que eu destruí a vida dela que ela não sabe oque fazer daqui pra frente.. ela é de São Miguel zona leste , e quando a gente se casou ela veio comigo para o Butantã. Hoje estou sentindo 0 de chances dela volta pra mim e ainda estou me sentindo mal por isso, continuo sem beber ou fumar..
17/10/2020 Fui na paróquia e pedi a deus que me absolva meus erros com a minha esposa e ilumine a minha cabeça para o melhor caminho. Fiz uma reflexão sobre a minha esposa e ela não foi uma boa pessoa comigo, já houve agressões físicas e verbais pela parte dela, todo meu salário era controlado por ela, sexo era umas 2 ou 1 vezes ao mês, ela tinha muitas alterações de humor e já chegou a me expulsa do apto por algumas vezes por motivos muito infantis. Havia muita hostilidade por parte dela contra mim, mas tbm tinha momentos em que ela esta bem. Eu sentia pena dela pq eu acreditava que ela estava com algum problema mental e eu não sabia como ajudar. Na última briga ela me colocou pra fora do apto de madrugada e não deixava entrar tive que pegar um uber e ir para casa da minha mãe e acabei comprando umas brejas e bebi muito lá pois eu estava triste., Então no outro dia voltei e pedi para abrir a porta pois eu precisava pegar algumas roupas assim que ela a abriu eu entrei e disse que não iria sair, ela chamou a polícia que informou para ela que não poderia me tirar do apartamento porque está alugado em meu nome, então ela saiu e foi para casa da mãe, no outro dia voltou com um caminhão de mudança e levou tudo TUDO só deixou o sofá e o microondas pra mim. Cara foi uma puta de uma sacanagem isso. Ela sinceramente acho que ela não eu uma pessoa boa para estar ao meu lado e estou iniciando um processo dentro de mim de mejo por ela e perdendo o amor. Hoje ela postou algumas mensagens no WhatsApp como indireta para mim. A mãe dela me disse que ela tá estranha. Claro deve tá batendo o arrependimento e a falta por mim. Mas a bixa e tão orgulhosa que não vai mandar e nem eu l. Na boa to tranquilo, já tô gostando da ideia de volta pra casa da minha mãe junta uma grana e compra um carrão pra mim. A minha dor já passou por ela e coloquei uma data limite de até o final de outubro passou disso tchau não voi fica esperando ela.
18/10/2020 Em uma breve conversar com a minha sogra ela me disse que não esta vendo a filha dela bem com essa separação e está preocupada com ela. Agora eu estou super puto da vida porque acho que ela esta resistindo a volta pra mim mesmo sofrendo. Que foda, minha vida está de cabeça para baixo , por mais que eu tente esquecer ela vendo vídeo motivacionais, religiosos ..etc isso não passa nem o tempo está ajudando. O termino foi no dia 02/10/2020 .. continuo seguindo o conselho minha sogra de não fala com ela...eu errei muito com ela. Se ela me dar mais uma chance cara eu sou muito sortudo mas não acredito que isso vai acontecer. Eu não me vejo com outra pessoa só de pensa sinto nojo eu gostava dela, eu nunca senti dor tão forte como essa tá piorando a cada dia estou ha 3 dias seguidos sem dormir vou acabar morrendo ou ficando louco morador de rua. Eu sinto que ela esta pensando em mim a gente tinha uma conexão qual que de alma gêmea . Porque ela está fazendo isso comigo? Ela tá me deixando assim pra eu sofrer e nunca mais beber ou fumar se for isso ok já aprendi a lição. Estou ficando de saco cheio já dessa putaria vou meter o louco e começar a xingar ela e a mãe dela. Porra, a mãe dela fica me dando esperança dizendo que ela volta e bla bla bla que ela gosta de mim que ela quer que eu mude que eu melhore que eu acorde para o relacionamento que não se torne pior do que já estava. mano, mas minha esposa fala que ACABOU ai me bloqueia ai desbloqueia fica vendo meus status ai me manda mensagem me xinga ai bloqueia ai desbloqueia ai fica vendo meus status denovo. Tô ficando maluco já. Ai que porra. Ela médica veterinária e e está trabalhando em plantões de 12hs ela deve tá muito puta comigo, aqui no Butantã temos praças aonde ela costumava passear com os cachorros todos os dias agora na zona leste ela não pode fazer isso então e casa e trabalho nossa ela deve tá sofrendo... Cada dia que passa eu vou sentindo mais falta e nesse momento acredito que as chances dela volta comigo são mínimas, eu tenho dificuldade de conquista outras mulheres e não vou superar nunca a perda do meu amor. Caraio a vida é foda com a gente. 2- Que situação tudo isso aconteceu por culpa minha. Estou sofrendo pra caraio e ela mais ainda pq teve que larga o trabalho .. me sinto no fundo do poço , talvez eu nunca volte a vê-la novamente. 3- Minha sogra mudou o tom das conversas acho que azedou de vez não volta mesmo. O apartamento está financiado no nome da mãe dela e tem que paga multa na boa eu quero que se foda porque a minha esposa levou as coisas então elas que se virem pra paga o aluguel e a multa.
19/10/2020 Hoje a minha sogra me pediu para fala com a minha esposa minha sogra quer muito que eu fique com a filha dela ela gosta muito de mim e eu dela.(coisa rara de acontecer) Bom, por enquanto a minha esposa ou ex. Sei lá. tá me respondendo na boa sem agressividade, vamos ver o que vai rolar. / A conversa com a ex. azedou e ela me falou que a única coisa que tem pra resolver comigo é a separação em juiz. Minha sogra disse pra mim que ela tá falando isso agora e tem certeza que a gente vai volta. / Mano, azedou de uma tal forma que me tenho mais esperança de nada. Acabou mesmo
20/10/2020 Minha ex. Bloqueou whatsapp telefone em todas as redes sociais tivemos as conversas por telefone e quando dizia que gostava dela e que mudei e me arrependo do erro ela até dava um bom sinal que tbm gosta, me contou que está passando uma grande dificuldade no trabalho e está difícil fica na casa da mãe dela. Eles tiveram uma briga ontem. Ela por ter saido do apartamento acha que eu tenho que pagar a multa de recisão sozinho. Tá sendo um inferno. Ela tomou a decisão errada e está claramente arrependida com isso. Não quer ficar na casa da mãe dela. Eu peço a Deus que em guarde e me proteja eu não entendo como a pessoa que me dizia me amar e 15 dias atrás agora me odeia e não quer me ver. Eu amo tanto essa pessoa e não consigo superar e acredita que estou passando por esse tipo de situação, agora não tenho nem um tipo de contato com ela. Meu deus do céu me arrependo por ter bebido e fumado essa foi a causa do termino do meu casamento.(ainda tenho um sentimento de alívio ou que algo ainda vai muda) / Rolou mais um quebra pau entre minha sogra e minha ex. Esposa agora a minha ex saiu da casa da mãe mandou várias mensagens pra mim e a merda fedeu de um jeito que não teu volta não. Minha ex agora não quer fala comigo e nem com a minha sogra .. caraio que barraco feio da porra que eu me envolvi com essa mulher ela é muito louco e agressiva até com a mãe dela. Gente do céu pedi o interesse nela total só me sobrou dó agora porque ela saiu da casa da mãe e não sei pra onde foi ... Eu acho que ela esta surtada da cabeça não se acalma de jeito nem um. Meu deus do céu. O pior que ela mexe com uns negócios de macumba e parece que essa porra tá afetando a vida dela.. tínhamos uma vida tão boa e ela chutou o pau da barraca assim do nada caraio, nunca pensei em passa por uma situação assim na minha vida. Há 15 dias atrás uma pessoa que se deitava comigo dizia que me amava, fazia amor comigo agora me odeia.. caramba estou transtornado com essa situação. Coisa horrível.
20/10/2020 Minha ex. Está descontrolada a mãe dela expulsou ela de casa disse que ela está insuportável, aparentemente ela surtou, agora está mandando mensagem para mim e para a minha sogra com tons agressivos. Estamos preocupados com ela pois ela já agia assim com agressividade com a gente mas parece que piorou .. agora a situação virou caso de preocupação com ela pois não sabemos qual será a atitude dela. Ela continua me mandando mensagem mas nem respondo.. ela não está com a cabeça boa não.
Uma coisa não se encaixa nessa história! 13h ela foi explusa de casa 17h ela me disse que alugou um apartamento 19h Postou foto no whatsapp já no novo apartamento com os móveis nele eu vi na foto mesa, e outras coisas que eram do nosso apartamento. Detalhe, a mãe dela estava no trabalho como iria expulsa ela de casa ?
Eu estou sendo manipulado 🥺 É tudo uma farsa.. meu deus quem são essas pessoas que estão conversando comigo? Não to entendendo mais porra nem uma.
22/10/2020 Estou começando a me sentir mais aliviado e com pensamentos positivos, porém as vezes ainda sinto uma dor pela falta dela, talvez eu nunca consiga esquecer a fernanda. Vou levar essa dor dentro de mim pelo resto da minha vida. Só um milagre pode salvar meu casamento nesse momento. Me bloqueou novamente no whatsapp mais uma facada no coração. (Não bloqueou só retirou a foto dela) fazendo joguinhos novamente, estou perdendo minha sanidade mental com essas atitudes.
A mãe dela tá sendo muito boa comigo. Porém a filha dela não está cooperando não quero mas estou desconfiado que a mãe dela só está sendo boa comigo porque o contrato do apartamento está no nome dela e tem a multa e o aluguel desse mês pra pagar. Caraiooooooooo minha mente está a mil.
23/10/2020 Trocando indireta via status do WhatsApp. Coloquei uma foto linda minha a bicha deve tá puta. ela colocou uma dela tbm. mas na boa eu sou bem mais bonito.. hahahaha Postei uma foto que apareceu minha mão sem aliança mas a foto estava invertida ela viu e me mandou mensagem reclamando que eu tirei a aliança.. hahaha.. aff ela separou de mim e tá cobrando que eu use aliança? Na verdade eu continuo usando sim.. mas sei que ela não.
24/10/2020 Sem ela percebi que não sei fazer nada, o apto está uma zona, cheiro de comida estragada o sofá com cheiro de chulé, estou comendo comida de microondas não sei nem o que pedir no ifood. Eu era totalmente dependente dela nas decisões nem o lixo eu tirei. Nossa, estou perdido. Eu fico esperando uma mensagem dela a todo momento, só queria que tudo voltasse ao normal. Essa experiência está sendo torturante. Comentou em mais um poste meu. (Mandei um oi e me ignorou) ela tá ficando muito online no whatsapp acho que ela tá ficando com outra cara. Meu coração tá doendo muito.
25/10/2020 Peguei ela online no WhatsApp as 1:40 da madrugada ela nunca ficou acordada até esse horário. Ela saiu pro rolê ou tá ficando com outro cara. Eu vivia com um mostro dentro de casa, ela nem se divórcio de mim ainda e já tá saindo muito safada... Lamentável.
Era o fim e eu que não quis aceitar as 4:30 da madrugada ela me mandou mensagem falando várias coisas e mandou um vídeo em estava em bar de pagode, disse que quer me ver nem respirar o mesmo ar que eu e outras coisas mais... Pessoal infelizmente não tenho chances de reconciliação com a minha esposa ela está com muita ódio de mim e vou ter que carregar esse meu erro pelo rest da minha vida.. a dor nunca vai curar... Pedi tanto a deus que me ajudasse orei tanto e a mãe dela também mas não deu certo. Eu levei a minha vida para o fundo do poço, nunca vou encontrar uma mulher igual aquela Deus me castigou ele não gosta de mim pedi a ajuda dele e ele não me ajudou nada mudou só ficou pior a cada dia e hoje ela está totalmente me odiando ... Deus o senhor não foi justo comigo eu pedi perdão ao senhor rezei pelos meu pecados sempre fui uma pessoa boa pra todo mundo porque o senhor fez isso comigo ? Me tirou a pessoa que eu mais amava no mundo de mim. Porque? Isso doi muito esse mundo não é bom.. só tem maldades e coisas ruins minhas esposas éramos tão felizes foi só um erros dava pra concertar. Mas minhas orações o senhor falou comigo "filho fique calmo ela vai volta pra você" porque o senhor me disse isso e não aconteceu isso deus ? Eu estava esperando o tempo dela. E não valeu por nada nada.. ela sente muito ódio por mim.
Nossa, o jogo deu um reviravolta. Depois da mensagem que ela me mandou na madrugada eu enviei um textão pra ela. Disse que até queria muito que ela fosse minha esposa mas depois dessa atitude eu prefiro seguir a minha vida sem você, que o divórcio o mais rápido possível e agradeço pela sua passagem em minha vida me ajudou abrir meus olhas pra vida para de beber e fumar estou um homem melhor para a minha verdadeira parceira e esposa. Pra que ela ficou louca, coloquei ela no lugar dela e dei pra ela bem entender que eu não queria mais ele. E continuava dizendo do divórcio. Ai ela disse eu não vou fazer nada de divórcio não para com isso e bla bla bla.. dominei ela agora tá conversando comigo igual uma santa e me ligou ficamos 30 minutos conversando.
Então ela ainda me amava mas estava com raiva por algumas atitudes minhas e então saiu.. o problema é que ela estava fazer uma tortura emocional em mim o que acho uma puta de uma sacanagem eu posso ter aprendido algumas coisa mas poxa, na boa não precisava pegar tão pesado assim..
Gostaria de pedir desculpas a Deus ele falou pra mim e se realizou aparentemente vai dar tudo certo. Nós vamos combina de se encontrar, ela já me pediu pra comprar comida para o gato e um brinquedo para ele.. eu disse que sim vou comprar.
26/10/2020 Hoje consegue dormi e acordei bem melhor, fiz meus exercícios e estou na empresa, mandei mensagem pra ela falando bom dia e uma ótima semana. Não vou estender mais a conversa. Durante a semana vou com calma acredito que agora ambos os lados estão mais calmos.
submitted by zsagattigerz to desabafos [link] [comments]


2020.10.07 11:31 pqamarks Minha avó está com câncer de pâncreas

Escrevi isso de madrugada porque nem consegui dormir de tanta preocupação e tristeza. Chorei pelo menos umas 9 vezes ontem. É um relato grande, peço desculpas por possíveis erros gramaticais e não sei se alguém vai ler.

Enfim, ela tem 74 anos e várias comorbidades: diabetes tipo 2, pressão alta, hipotireoidismo e espondilolistese. De um ano pra cá, veio relatando cansaço diariamente - Eu a vejo todos os dias, já que moramos em um sobrado: eu na casa de baixo, com meus pais, e ela na casa de cima. Mesmo com a queixa de cansaço, eu nem parava para pensar na possibilidade de câncer. Ela mesma dizia que se sentia bem, apesar do cansaço, então supunha que deveria ser por causa da diabetes.

Todos os dias ia para a casa dela para tomar um cafezinho (o melhor café que já tomei, aliás), rir, dar carinho nos 6 gatos dela e ouvir ela me contando histórias enquanto me mostrava as plantas dela. Sempre conversávamos sobre as novidades, eu contava para ela como está a faculdade e tudo mais.
Minha avó é uma batalhadora. A história dela é maravilhosa: filha de imigrantes espanhóis e italianos de origem pobre, enfrentou a falta de recursos desde muito cedo. Começou a trabalhar aos 12 anos de idade (ela conta que pegava o trem às 5 da manhã para ir trabalhar todos os dias) e parou os estudos depois do ensino fundamental, mas retomou aos 20 e poucos anos e concluiu o ensino médio, então se tornou auxiliar de enfermagem. Com o dinheiro conquistado junto com os pais e o marido - o amor da vida dela (que trabalhou para a aeronáutica e já foi carteiro também) - ela conseguiu construir esse sobrado em um terreno grande. Foi um imenso sacrifício, ela passou necessidades, inclusive conta que já chegou a passar fome, mas conseguiu fazer uma casa enorme e muito bonita. Teve só uma filha e deu tudo do bom e do melhor para ela. Sempre foi elogiada em seu trabalho no hospital e, mesmo após mais de 20 anos de aposentada, alguns antigos pacientes chegaram a vir na casa dela para agradecê-la por ter "salvado a vida" deles.

Em 1990, minha bisavó partiu. Câncer de mama. No mesmo ano, meu irmão mais velho nasceu.
Em 1995, eu e meu irmão gêmeo nascemos.
Em 1998, meu avô partiu. Câncer colorretal. Ela entrou em depressão profunda e se agarrou ao catolicismo com todas as forças que ainda tinha. Ia para a missa todo fim de semana, assistia a programas religiosos e rezava todos os dias. Me ensinou a rezar, me levava à missa e me levava à catequese e à escola, e também pagava meus estudos. Sempre foi minha super heroína, meu modelo a ser seguido; minha mãe teve muitos problemas de saúde durante a minha vida (teve um tumor cerebral, problemas de ansiedade, depressão e bipolaridade, além de ter feito outras cirurgias, então infelizmente ela não conseguia cuidar tanto de mim), logo, minha avó sempre foi minha segunda mãe: durante a infância, me acordava todos os dias com bolachas, leite com chocolate e me dava um beijo, dizia "bença" e me incentivava a estudar.
Então eu fui crescendo, ela foi envelhecendo, e mesmo cada vez mais fraquinha, acumulando comorbidades, nunca parou.

Lá para 2004, tivemos uma crise financeira absurda. Meu pai ficou desempregado e começou a fazer faculdade mesmo com seus trinta e poucos anos, minha mãe estava com um tumor e não podia trabalhar e eu e meus irmãos éramos crianças. Minha avó começou a carregar a família nas costas, pagava todas as contas e fazia de tudo para eu e meus irmãos ficarmos bem. Depois de alguns anos de muita pobreza, meu pai terminou os estudos, começou a trabalhar, meu irmão mais velho conseguiu um emprego e as coisas foram melhorando aos poucos, mas ela sempre foi a chefe das finanças e quem mais contribuía, além de lavar roupas, cuidar dos gatos, limpar a casa e fazer a comida para todos nós.

Minha avó sempre foi extremamente persistente, independente, forte e amável. Eu terminei a escola e resolvi que iria prestar medicina. Sempre foi meu sonho, me impressionava com todas as histórias que ela me contava sobre a rotina no hospital e queria poder proporcionar às outras pessoas a mesma sensação que tive quando tivemos cirurgias bem sucedidas na minha família. Minha avó inclusive fez uma cirurgia na coluna em 2009 e melhorou muito da espondilolistese. Concluí que queria realmente fazer medicina e que gostaria de ajudar as pessoas, assim como meu exemplo de vida (minha avó) fez durante a vida dela.

Entretanto, quando falei para a minha família que iria prestar medicina, meu pai me disse que não tinha condição nenhuma de me ajudar com os estudos, então "seria melhor fazer biomedicina e pronto". Eu disse que não tinha problema, que eu trabalharia e estudaria pagando um cursinho. Ele me xingou de várias coisas, já que o clima da discussão tinha esquentado (ele sempre teve vontade de fazer medicina também, mas não conseguiu, então acho que ficou bravo comigo por isso, não sei), e depois apostou comigo que eu nunca conseguiria passar. Ele realmente não me ajudou, minha avó não tinha dinheiro para me bancar mais uma vez, e nem a minha mãe. Então fui trabalhar como repositor de supermercado aos 18 anos. Logo depois de ter sido contratado e resolvido pagar meu cursinho pré vestibular, minha avó disse que iria sujar o próprio nome fazendo um empréstimo absurdo, não pagando as parcelas, e então pagando meu cursinho. Então ela disse que eu não deveria mais trabalhar, já que o vestibular é muito concorrido e eu precisava passar numa universidade em que eu não precisasse pagar, considerando a nossa realidade financeira. De início, recusei e achei um absurdo o que ela fez. Mas ela me pediu por favor para nunca desistir e disse que, mesmo que eu não conseguisse, não teria problema. O importante era apenas que eu tentasse.

Dessa forma, larguei o emprego e resolvi honrar cada centavo gasto por ela. Precisava passar no vestibular. Eram muitas coisas em jogo: a aposta do meu pai, o sacrifício dela e a realização do meu sonho. Passei no vestibular depois de muito esforço e sentimento de frustração por ter fracassado por dois anos. Ela nunca desistiu de mim. Sempre insistiu e me pedia para não ir trabalhar, focar nos estudos e não desanimar. Eu passei, comemorei muito e agradeci demais a ela. E ainda por cima ganhei uma bolsa 100%. Mesmo com todas as dificuldades financeiras, deu tudo certo no final. E depois ela acabou quitando a dívida com o banco.

Então minha próxima meta era me formar e ela me ver médico, autossuficiente, ajudando minha família e mimando ela o máximo possível para poder retribuir pelo menos 1% de tudo o que ela já me fez. Os anos de faculdade até então foram bons e, como disse anteriormente, visitá-la era um hábito.

Até que semana passada fui vê-la e de repente ela quase desmaiou enquanto tomávamos um café. Ela estava meio amarelada. Mais tarde, a levei para o pronto socorro e o médico, sem nem dar boa noite e nem olhar na cara dela, disse que era "refluxo" e que ela melhoraria sozinha. Em seguida, mandei ele olhar nos olhos dela e debaixo da língua dela para ver como ela estava ictérica. Finalmente o médico meia boca tomou vergonha na cara e pediu vários exames, meio envergonhado. Depois dela tomar alguns remédios na veia, voltou para casa. Um dia depois, voltou para o hospital para ver os resultados dos exames. Os resultados não foram animadores e ela foi internada. Depois de uma semana de muito sofrimento, furadas nas veias e vários exames, veio o diagnóstico: câncer de cabeça de pâncreas. Só falta fazer o estadiamento e confirmar onde tem metástases.

Hoje ela teve alta, mas não está bem. Está cansadinha, sonolenta e levanta com muita dificuldade, precisando de ajuda até para ir ao banheiro. Eu estou acabado, sem chão, destruído. Escrevi isso tudo chorando. Ela disse ao meu irmão que não tem medo de nada, que ama a família dela e que tem os melhores netos do mundo. Também disse que está feliz porque finalmente irá reencontrar meu avô e os pais dela.

Não vou conseguir devolver tudo o que ela fez de bom por mim. Eu queria mimá-la, tratá-la como uma rainha e dar uma excelente condição de vida para ela. Queria que minha avó me visse formado e gostaria que ela não sofresse, mas a vida é desse jeito: de repente nos dá uma rasteira. A minha sensação é de incompetência, já que eu deveria ter levado ela antes para o hospital, já suspeitando da possibilidade de câncer. Mas ela sempre me dizia que estava bem e que eu não deveria me preocupar.

E agora? Como eu fico sem minha base? Sem a pessoa que mais amo no mundo? A pessoa que nunca desistiu de mim e me fez ser quem eu sou? Isso tudo é triste demais. Eu tento me mostrar forte e oferecer apoio para a minha mãe e meus irmãos, mas na verdade uma parte minha está morrendo. Não dá para acreditar que isso esteja acontecendo.

De qualquer forma, nunca vou me esquecer do legado dela. Por onde ela passou, deixou vida: se encontrou numa profissão que se destina a ajudar o próximo, fez inúmeras caridades para a Pastoral da Criança, ajudou pessoas necessitadas, tratou de pacientes em hemodiálise e trouxe vida até mesmo a partir de atos mais sutis: desde os cuidados com plantas até com animais de estimação. Ela é uma pessoa que naturalmente traz vida para os ambientes por onde passa. Sempre teve algum gato, cachorro ou passarinho, lutou contra injustiças, curou, ajudou e forneceu suporte a todos. Mesmo agora, provavelmente no fim da vida, ela dá uma aula de como viver a vida. Continua sorridente, divertida, carinhosa, extremamente pé no chão, agradando os gatos e conversando de forma lúcida e perspicaz. É uma pessoa incrível e, independente do que possa acontecer, eu amo demais tudo o que ela representa.
submitted by pqamarks to brasil [link] [comments]


2020.10.07 07:18 pqamarks Minha avó está com câncer de pâncreas

Estou escrevendo isso de madrugada porque nem consigo dormir de tanta preocupação e tristeza. Chorei pelo menos umas 9 vezes ontem. É um relato grande, peço desculpas e não sei se alguém vai ler.
Enfim, ela tem 74 anos e várias comorbidades: diabetes tipo 2, pressão alta, hipotireoidismo e espondilolistese. De um ano pra cá, veio relatando cansaço diariamente - Eu a vejo todos os dias, já que moramos em um sobrado: eu na casa de baixo, com meus pais, e ela na casa de cima. Mesmo com a queixa de cansaço, eu nem parava para pensar na possibilidade de câncer. Ela mesma dizia que se sentia bem, apesar do cansaço, então supunha que deveria ser por causa da diabetes.
Todos os dias ia para a casa dela para tomar um cafezinho (o melhor café que já tomei, aliás), rir, dar carinho nos 6 gatos dela e ouvir ela me contando histórias enquanto me mostrava as plantinhas dela. Sempre conversávamos sobre as novidades, eu contava para ela como está a faculdade e tudo mais.
Minha avó é uma batalhadora. A história dela é maravilhosa: filha de imigrantes espanhóis e italianos de origem pobre, enfrentou a falta de recursos desde muito cedo. Começou a trabalhar aos 12 anos de idade (ela conta que pegava o trem às 5 da manhã para ir trabalhar todos os dias) e parou os estudos depois do ensino fundamental, mas retomou aos 20 e poucos anos e concluiu o ensino médio, então se tornou auxiliar de enfermagem. Com o dinheiro conquistado junto com os pais e o marido - o amor da vida dela (que trabalhou para a aeronáutica e já foi carteiro também) - ela conseguiu construir esse sobrado em um terreno grande. Foi um imenso sacrifício, ela passou necessidades, inclusive conta que já chegou a passar fome, mas conseguiu fazer uma casa enorme e muito bonita. Teve só uma filha e deu tudo do bom e do melhor para ela. Sempre foi elogiada em seu trabalho no hospital e, mesmo após mais de 20 anos de aposentada, alguns antigos pacientes chegaram a vir aqui em casa para agradecê-la por ter "salvado a vida" deles.
Em 1990, minha bisavó partiu. Câncer de mama. No mesmo ano, meu irmão mais velho nasceu. Em 1995, eu e meu irmão gêmeo nascemos. Em 1998, meu avô partiu. Câncer colorretal. Ela entrou em depressão profunda e se agarrou ao catolicismo com todas as forças que ainda tinha. Ia para a missa todo fim de semana, assistia a programas religiosos e rezava todos os dias. Me ensinou a rezar, me levava à missa e me levava à catequese e à escola, e também pagava meus estudos. Sempre foi minha super heroína, meu modelo a ser seguido; minha mãe teve muitos problemas de saúde durante a minha vida (teve um tumor cerebral, problemas de ansiedade, depressão e bipolaridade, além de ter feito outras cirurgias, então infelizmente ela não conseguia cuidar tanto de mim), logo, minha avó sempre foi minha segunda mãe: durante a infância, me acordava todos os dias com bolachas, leite com chocolate e me dava um beijo, dizia "bença" e me incentivava a estudar. Então eu fui crescendo, ela foi envelhecendo, e mesmo cada vez mais fraquinha, acumulando comorbidades, nunca parou.
Lá para 2004, tivemos uma crise financeira absurda. Meu pai ficou desempregado e começou a fazer faculdade mesmo com seus trinta e poucos anos, minha mãe estava com um tumor e não podia trabalhar e eu e meus irmãos éramos crianças. Minha avó começou a carregar a família nas costas, pagava todas as contas e fazia de tudo para eu e meus irmãos ficarmos bem. Depois de alguns anos de muita pobreza, meu pai terminou os estudos, começou a trabalhar, meu irmão mais velho conseguiu um emprego e as coisas foram melhorando aos poucos, mas ela sempre foi a chefe das finanças e quem mais contribuía, além de lavar roupas, cuidar dos gatos, limpar a casa e fazer a comida para todos nós.
Minha avó sempre foi extremamente persistente, forte e amável. Eu terminei a escola e resolvi que iria prestar medicina. Sempre foi meu sonho, me impressionava com todas as histórias que ela me contava sobre a rotina no hospital e queria poder proporcionar às outras pessoas a mesma sensação que tive quando tivemos cirurgias bem sucedidas na minha família. Minha avó inclusive fez uma cirurgia na coluna em 2009 e melhorou muito da espondilolistese. Concluí que queria realmente fazer medicina e que gostaria de ajudar as pessoas, assim como meu exemplo de vida (minha avó) fez durante a vida dela.
Entretanto, quando falei para a minha família que iria prestar medicina, meu pai me disse que não tinha condição nenhuma de me ajudar com os estudos, então "seria melhor fazer biomedicina e pronto". Eu disse que não tinha problema, que eu trabalharia e estudaria pagando um cursinho. Ele me xingou de várias coisas, já que o clima da discussão tinha esquentado (ele sempre teve vontade de fazer medicina também, mas não conseguiu, então acho que ficou bravo comigo por isso, não sei), e depois apostou comigo que eu nunca conseguiria passar. Ele realmente não me ajudou, minha avó não tinha dinheiro para me bancar mais uma vez, e nem a minha mãe. Então fui trabalhar como repositor de supermercado aos 18 anos. Logo depois de ter sido contratado e resolvido pagar meu cursinho pré vestibular, minha avó disse que iria sujar o próprio nome fazendo um empréstimo absurdo, não pagando as parcelas, e então pagando meu cursinho. Então ela disse que eu não deveria mais trabalhar, já que o vestibular é muito concorrido e eu precisava passar numa universidade em que eu não precisasse pagar, considerando a nossa realidade financeira. De início, recusei e achei um absurdo o que ela fez. Mas ela me pediu por favor para nunca desistir e disse que, mesmo que eu não conseguisse, não teria problema. O importante era apenas que eu tentasse.
Dessa forma, larguei o emprego e resolvi honrar cada centavo gasto por ela. Precisava passar no vestibular. Eram muitas coisas em jogo: a aposta do meu pai, o sacrifício dela e a realização do meu sonho. Passei no vestibular depois de muito esforço e sentimento de frustração por ter fracassado por dois anos. Ela nunca desistiu de mim. Sempre insistiu e me pedia para não ir trabalhar, focar nos estudos e não desanimar. Eu passei, comemorei muito e agradeci demais a ela. E ainda por cima ganhei uma bolsa 100%. Mesmo com todas as dificuldades financeiras, deu tudo certo no final. E depois ela acabou quitando a dívida com o banco.
Então minha próxima meta era me formar e ela me ver médico, autossuficiente, ajudando minha família e mimando ela o máximo possível para poder retribuir pelo menos 1% de tudo o que ela já me fez. Os anos de faculdade até então foram bons e, como disse anteriormente, visitá-la era um hábito.
Até que semana passada fui vê-la e de repente ela quase desmaiou enquanto tomávamos um café. Ela estava meio amarelada. Mais tarde, a levei para o pronto socorro e o médico, sem nem dar boa noite e nem olhar na cara dela, disse que era "refluxo" e que ela melhoraria sozinha. Em seguida, mandei ele olhar nos olhos dela e debaixo da língua dela para ver como ela estava ictérica. Finalmente o médico meia boca tomou vergonha na cara e pediu vários exames, meio envergonhado. Depois dela tomar alguns remédios na veia, voltou para casa. Um dia depois, voltou para o hospital para ver os resultados dos exames. Os resultados não foram animadores e ela foi internada. Depois de uma semana de muito sofrimento, furadas nas veias e vários exames, veio o diagnóstico: câncer de cabeça de pâncreas. Só falta fazer o estadiamento e confirmar onde tem metástases.
Hoje ela teve alta, mas não está bem. Está cansadinha, sonolenta e levanta com muita dificuldade, precisando de ajuda até para ir ao banheiro. Eu estou acabado, sem chão, destruído. Escrevi isso tudo chorando. Ela disse ao meu irmão que não tem medo de nada, que ama a família dela e que tem os melhores netos do mundo. Também disse que está feliz porque finalmente irá reencontrar meu avô e os pais dela.
Não vou conseguir devolver tudo o que ela fez de bom por mim. Eu queria mimá-la, tratá-la como uma rainha e dar uma excelente condição de vida para ela. Queria que minha avó me visse formado e gostaria que ela não sofresse, mas a vida é desse jeito: de repente nos dá uma rasteira. A minha sensação é de incompetência, já que eu deveria ter levado ela antes para o hospital, já suspeitando da possibilidade de câncer. Mas ela sempre me dizia que estava bem e que eu não deveria me preocupar.
E agora? Como eu fico sem minha base? Sem a pessoa que mais amo no mundo? A pessoa que nunca desistiu de mim e me fez ser quem eu sou? Isso tudo é triste demais. Eu tento me mostrar forte e oferecer apoio para a minha mãe e meus irmãos, mas na verdade uma parte minha está morrendo. Não dá para acreditar que isso esteja acontecendo.
De qualquer forma, nunca vou me esquecer do legado dela. Por onde ela passou, deixou vida: se encontrou numa profissão que se destina a ajudar o próximo, fez inúmeras caridades para a Pastoral da Criança, ajudou pessoas necessitadas, tratou de pacientes em hemodiálise e trouxe vida até mesmo a partir de atos mais sutis: desde os cuidados com plantas até com animais de estimação. Ela é uma pessoa que naturalmente traz vida para os ambientes por onde passa. Sempre teve algum gato, cachorro ou passarinho, lutou contra injustiças, curou, ajudou e forneceu suporte a todos. É uma pessoa incrível e, independente do que possa acontecer, eu amo demais tudo o que ela representa.
submitted by pqamarks to desabafos [link] [comments]


2020.10.05 00:50 Alfre-douh Balbuciar

Ao passar, ele balbuciou algo. Pode ter sido um nada, ou, quem sabe, pode ter sido a verdadeira conexão universal com a vida que tanto se procura. O segredo que queria para mim e que sinto não procurar no sítio certo. Essa pecinha poderia ser o elo que ligaria tudo: a confiança e a dúvida, o amor e a tristeza, o potencial e a idealização.
Continuei a andar até ao café. A sentir-me curioso pela forma como somos aquilo que pensamos das nossas próprias percepções. O velhote e a sua presença singular por baixo da janela... Porque não é isso inócuo para mim? Ou aliás, porque foi isso tão cativante? E sê-lo hoje tem alguma espécie de conexão subconsciente com o meu contexto atual ou com a minha forma de ver a vida no geral? Que raio se inibiu ele de dizer de forma clara?
Domingo de manhã leva-me ao ritual de sincronização com a vida domingueira. Vestir algo despreocupado, sair e tomar o pequeno almoço no café da esquina. Criei isso na minha vida sem grau de consciência do feito. Quando me apercebi que aquilo era um ritual, perdi um segundo, e aceitei-o como uma criação completamente consciente. Falso como um político a recolher louros, percebi no acaso algo que poderia reclamar como meu.
Já na mesinha da esplanada, saciado do pequeno almoço, faço chegar o café para perto de mim. Lanço um olhar furtivo a uma senhora de meia-idade que despeja, três mesas mais à frente, um pacote de açúcar inteiro para o muy nobre iniciador de manhãs. A minha reação (devo dizer risível) foi de atirar, com desdém, o pacotinho de açúcar pousado no pires para cima da mesa. Todo eu numa atitude de interjeição depreciadora seguida dum pensamento nas linhas de: "que perversão do camandro beber café com açúcar".
Acendo o cigarro que tinha guardado com mais três da sua espécie no maço, e vou começando a beber o café com as aclamadas e solenes pausas aguardadas. Enquanto o faço, rebobino cinematográficamente o velhote plantado debaixo da varanda. Estaria ele a ter um daqueles dias em que a próstata não perdoa? Se sim, porque se vestiu ele e foi para ali. Será aquilo uma dinâmica idêntica àquela que eu apelido de ritual? O velhote irritado com a escassez de urina matinal, veste-se parte para a varanda para não ser incómodo para com a esposa?
O engraçado de criar histórias, é que todas elas partem de um acaso que reclamamos como nosso. É o nosso acaso. O que é que realmente fazia ali o velhote? Não sei. Na minha história optei por aceitar que ele estava à rasquinha com a próstata e com a vida, e para ali foi ele balbuciar. Se o vir lá outra vez, será nessa ideia de desconforto geriátrico que vou acreditar.
As minhas projeções iniciais são agora estapafúrdias, já que o velhote estava simplesmente aflito. As borras no fundo da chávena dizem-me que o café acabou. O cigarro a queimar a parte branca onde está a marca diz-me que é hora de apagar e ir pagar.
Ao balcão, vou revolvendo as moedas, naquele jogo de encontrar a quantia exata. Em segundo plano, ocorre um spin-off do filme até ali realizado. A senhora de meia-idade cheia açúcar chama-me a atenção para uma nota de 10 euros que deixei cair. Diz-me, com um riso ultra "refinado": "deixou-a cair... é melhor guardar senão ainda fico eu com ela". Ao que eu respondo com um "Obrigado!" risonho. E à medida que guardo a nota, arqueio as sobrancelhas e balbucio "que forma tão doce de agir...".
submitted by Alfre-douh to escrita [link] [comments]


2020.10.01 04:44 Huzzahd Estadual (/rant)

Porra mermão vtnc caralho de estadual no meio do brasileirão. Time vem morto de jogar 16152525 partidas e o cara me bota time titular pra ganhar porra de estadual. Resultado tá aí time jogou bem mas morreu no 2o tempo (com substituições horríveis por sinal) e levou 2 gols de bola parada como sempre.
O RB já deixou só o bagaço, aí deixa o Goiás empatar no final do mesmo jeito e agora essa desgraça. Botou o time titular pra perder 2 titulares por lesão e quase não perde mais, e ainda perder o jogo. Já tinha dito aqui que era melhor botar o time reserva pra ter mais opções pro brasileiro e poupar o time que tá morrendo em campo.
Mas é isso aí ainda tem outro jogo da final do estadual e pelo menos mais 2 da CdB e como vai ser tudo de titular a gente vai se fuder pelo visto. Volta Klaus pelo amor de deus pra ver se ajeita essa zaga.
Queria botar flair discussão mas n tem aqui então vai assim mesmo.
submitted by Huzzahd to futebol [link] [comments]


2020.10.01 01:24 Professor_Helpful Tô bem, mas sou solitário

Acho que vai ser longo.
Começo em uma hora positiva: estou em um bom momento da minha vida. Trabalho com algo que gosto bastante, vou fazer uma pós graduação em uma área de meu interesse, pago minhas contas e moro sozinho. Eu tenho alguns hobbies como música, alguns jogos, e principalmente gosto de cinema. Sou daquelas pessoas que falam do enquadramento e das metáforas de uma cena, mas também animo a assistir blockbusters, só depende da companhia.
Aí acaba a nota positiva.
Eu já me relacionei com várias pessoas, e recentemente, com a ajuda de um amigo, percebi o perfil que atraio. Eu não me valorizava, deixava as pessoas fazerem o que quisessem comigo, e até criava justificativas “ah, ela está cansada hoje, tudo bem” - eu dizia pra mim mesmo. Mas foi assim com várias pessoas, até eu descobrir o amor próprio (depois de 29 anos de existência por aqui)
Passado essa introdução, o meu real desabafo é que tenho medo de não encontrar alguém. Parece drama adolescente, mas é algo que me entristece de verdade. Eu gosto muito da minha companhia, e super me daria bem com alguém como eu, mas tem um porém importante. Além de descobrir o respeito e amor próprios, eu descobri e entendi que sou assexual - que é um termo geral num espectro, mas resumidamente no meu caso, não tenho interesse por sexo. Não tenho repulsa à ideia, e já fiz, só não gosto mesmo. E não foi por “não encontrar a pessoa certa”, foi só porque realmente não é algo que me interessa. E isso é um deal breaker pra muitas pessoas. Como é uma descoberta recente, eu nem sabia o que dizer quando chegava nesses assuntos, já que se é esperado que um homem esteja sempre querendo sexo.
Para finalizar, recentemente conheci uma garota e contei para ela que eu era ace. Ela achou legal, disse que estava tudo bem, e eu fiquei bem feliz e me senti aceito. Achei que dessa vez daria certo. Não deu. Ela desapareceu do nada, eu procurei, ela desconversou e simplesmente ignorou. Nós já nos conhecíamos há 5 meses antes de nos encontrarmos. O mais curioso é que, como disse no início, esse tipo de coisa acontece muito. Esse tipo de gente aparece muito na minha vida. Eu só queria alguém para compartilhar meus hobbies - de uma forma diferente da que já faço com os amigos.
É isso. Agradeço por lerem até aqui, e mandem mensagens positivas se puderem :)
submitted by Professor_Helpful to desabafos [link] [comments]